Pubicado em: sex, mar 18th, 2016

Dia do Artesão é comemorado em Pernambuco com números positivos

Neste sábado (19/03), será comemorado o Dia do Artesão. Aqui em Pernambuco, o Centro de Artesanato, no Marco Zero, reúne 1.200 artesãos que produziram mais de 22 mil peças em comercialização no espaço. Mestres e artesãos só tem o que comemorar: em 2015, o Estado cadastrou mais de 1,5 mil profissionais. Só nos primeiros três meses deste ano já foram cadastrados mais de 900 artesãos no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (SICAB).

Apesar do crescente número, muitos deles ainda não sabem como adquirir a Carteira do Artesão.  O primeiro passo é agendar o atendimento com o Centro de Artesanato de Pernambuco, através do telefone (81) 3181-3457. Para se cadastrar, o artesão deve levar cópia do RG, CPF, comprovante de residência e uma foto 3×4 colorida. Logo em seguida, o profissional passará por um teste de habilidades técnicas, cuja aprovação é da Coordenação Estadual de Artesanato.

O registro no SICAB proporciona ao artesãos diversos benefícios, como participação em feiras de artesanato nacionais e internacionais nos espaços do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), participação em oficinas e curso de artesanato, além de incentivos fiscais (em alguns estados) e desconto de 20% na comercialização do estande da Fenearte.

O Centro de Artesanato de Pernambuco

O espaço articula ações que permitem ao artesão a exposição e comercialização da sua arte, como a Unidade Móvel de Artesanato e a Fenearte, que neste ano chega a sua 17º edição. Mesmo com a crise econômica que tem assolado o país, o artesanato pernambucano tem se sobressaído.

Desde janeiro até a primeira quinzena de março deste ano, o Centro faturou mais de R$ 600 mil com a comercialização de quase 28 mil peças. O primeiro mês de 2016 foi o melhor em vendas para a loja desde a inauguração do espaço, com a movimentação de mais de R$ 350 mil. O diretor de promoção do artesanato da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Thiago Angelus, destaca os resultados: “O Governo do Estado, por meio da AD Diper, vem trabalhando de forma estratégica nas ações para o setor artesanal. Apesar do atual momento econômico, os canais de comercialização têm mostrado bom desempenho e os números provam isso. Pretendemos aumentar ainda mais o faturamento da nossa loja e termos melhores vendas na Unidade Móvel de Artesanato e na 17º edição da Fenearte. Vale ressaltar que os artesãos são os verdadeiros merecedores de todo nosso trabalho, pois são eles que contribuem para a nossa riqueza cultural”, destacou.

Além da Unidade Recife, o Centro de Artesanato possui outro espaço no município de Bezerros, localizado na BR-232, KM 107. A loja reúne uma exposição diária de cinco mil peças de mais de mil artesãos cadastrados de vários municípios. Já o museu expõe 644 obras de 57 artesãos e 15 associações que, juntos, representam a arte popular de 26 municípios.

Unidade Móvel de Artesanato

A carreta é um dos canais de comercialização do Programa do Artesanato de Pernambuco (Pape). A Unidade já percorreu vários municípios do Estado e também outras cidades do Brasil. Ano passado, o caminhão estacionou em Petrolina, Salgueiro, Goiana, Paulista, Vicência e também no Recife.

Durante os 12 meses de 2015, a carreta faturou mais de R$ 100 mil com a comercialização de mais de nove mil peças. Além disso, recebeu mais de 17 mil visitantes. Neste ano, a Unidade Móvel já percorreu os municípios de Goiana e Altinho e segue com a agenda cheia até o final do primeiro semestre de 2016. No Dia do Artesão, o caminhão estará em Tracunhaém.

 Fenearte

Os preparativos para XVII Fenearte estão a todo vapor. Nesta ano, o evento será realizado de 07 a 17 de julho, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Na sua última edição, a Fenearte contou com um público recorde de 330 mil visitantes e movimentação financeira de mais de R$ 40 milhões. Em 2016, com o tema “Artesanato, a Arte Brincante”, a feira bateu recorde no número de artesãos inscritos: foram mais de 1,9 mil cadastros realizados no sistema da Feira.

Por Yasmim Dicastro